Dia internacional da Poesia   Leave a comment


Poeta fingidor

    

Se fingir é preciso
Poeta não quero ser
Como ando a poetar
A verdades quero dizer

A vida é um rio
O poeta por ela vai
Embrenhando terra adentro
O que lhe vem para contar

Sonha muito o poeta
Chora o coração a falar
Quem me dera eu fingisse
Já não me viam a chorar!

Por um não ao coração
Vem um sim a emoção
Essa emoção de escrever
Tão somente sem quere enganar

Quem engana finge sempre
Ser quem não é a falar
Dos sonhos ou quimeras
Vai o poeta sua vida dar

Em versos um alento
Cantando ou contando um lamento
Que mais parece um sofrimento
É um grito perfeito
De dor, amor ou sentimentos!
Mas sem nenhum fingimento

Denise Figueiredo

http://www.cecypoemas.com/dia_internacional_da_poesia.htm

 

Anúncios

Publicado março 21, 2006 por Denise Figueiredo em Cirandas & Coletâneas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

De Janeiro a Janeiro

by Mariana Alcântara

Espaço de Celina

Criação literária de Celina Bittencourt

Paulo Alexandre Henriques

Escritor e Poeta português

Gotasdepoesia's Blog

Just another WordPress.com weblog

%d blogueiros gostam disto: