Meu invento   1 comment


 

Meu invento

 

Que bate e respira

És minha doce lira

Sonho inexprimível

Iluminado canto.

 

Nuvem, meu aconchego,

Abraça-me quando chego,

Trazida pelo vento,

Que faz de ti meu invento.

 

Inserido em meu céu,

De estrelas multicores,

Minha aurora boreal,

És assim meu bem e meu mal.

 

Denise Figueiredo.

Extraído do livro

 Aná & katá

©2010

 

 

Mi invento

 

Que late y respira
Tu eres mi dulce lira
Sueño inexpresable
esquina con luces.
 

Cloud, mi refugio,
Abrázame cuando llegue,
Traído por el viento,
Eso te hace mi invención.
 

Entró en mi cielo,
Multicolores estrellas,
Mi aurora boreal,
Usted es tan querida y mi mal.
 

Denise Figueiredo.
Extraído del libro
 Aná y kata
© 2010

 

 
 
Anúncios

Publicado junho 3, 2010 por Denise Figueiredo em Poesias

Uma resposta para “Meu invento

Assinar os comentários com RSS.

  1. Hum… Vejo o som dos batuques e ouço o perfume de bons ventos nesses seus inventos hein…rsrsPois lá vai uma, lá vão duas…E mais uma são três, pra comemorar o inicio da semana à altura…Beijossss!http://www.youtube.com/watch?v=tAei9uHN_rw

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

De Janeiro a Janeiro

by Mariana Alcântara

Espaço de Celina

Criação literária de Celina Bittencourt

Paulo Alexandre Henriques

Escritor e Poeta português

Gotasdepoesia's Blog

Just another WordPress.com weblog

%d blogueiros gostam disto: